24 Uma notícia

    
Capítulo 24
Uma notícia
Aquele doutor, com sua roupa verde, e com aquele monitor cardíaco envolto ao seu pescoço veio ao nosso encontro. Minha filha, minha pequena, agora uma mulher, já era mãe pois uma criança estava dentro do seu corpo, essa criança tão frágil e indefesa dentro da sala do hospital ao lado. Minha pequena Lara, agora tudo faz sentido, as vertigens, as dores de cabeça, e a vez que saiu correndo no meio da jantar, e eu não entendia nada. Pensava que ela estava abalada pelo final do seu namoro. E o cochichos com a Lorena pra lá e pra cá, e as vezes que cortavam a conversa no meio. Eu sempre orava por ela . Todos os dias orava pela minha filha sabia que algo de estranho estava ocorrendo. Nem na igreja ela estava indo, e nem com a Lorena não queria sair.
Pensava: -Como a Lara esta abatida, como um amor pode fazer isto? E o tempo não passava. Já se passaram um mês do termino do namoro, e ela continuava estranha, até uma vez ela se trancou no banheiro e demorou, muito tempo por lá. Os sinais estavam na minha frente e eu não prestava atenção.
-Dona Neide, desculpe-me pelo que fiz, eu provoquei tudo isto. Falava Lorena que impaciente ficava dando círculos naquela sala, olhando para baixo, para ela era mais real tudo, pois ela sabia que Lara estava sofrendo... Minha filha , seria vó. Mas ela sempre soube que somos evangélicos, e vivemos nos preceitos Cristãos, mas mesmo que não fossemos, um filho, é algo que consolida um amor, um casamento, é algo natural de um relacionamento, sempre disse isto a Ela.
-Lorena, você é amiga, mas não é responsável pelos atos da Lara, tudo na vida há consequência, sejam boas, sejam más, Lara fez as suas escolhas. E chorava, mas o inocente não tem culpa.
-Você e você o que são da Lara? Ela é a mãe, e eu sou uma amiga intima. O médico com um tom apreensível disse: -Você se importa de esperar na sala ao lado.. Gostaria de falar somente com os pais sobre o estado de saúde da filha deles.
E a Lorena foi, cabisbaixa, se culpava do estado de saúde da amiga.
E só nós três, olhava para aquele médico, os segundos que ele lia e assinava papeis, e eu e o meu esposo esperando.... E toca o celular do meu esposo. -Quem seria? Ele vai atender? Mas o médico vai falar o estado de saúde da nossa filha não acredito no que estou vendo:
-Desculpe Neide é bem rapidinho é o meu conselheiro, já volto. Agora estou sozinha com o médico.
Ele já volta? Eu preciso continuar com o meu serviço por aqui.
-Sim doutor ele já volta... E olhava o doutor, para ele era normal qual quer que fosse a noticia, aquele ar frio, faz parte da profissão, eles lidam com a vida e com a morte na mesma proporção. E o doutor continuava. A moça deu muita sorte, o atendimento foi recorde, da chamada ao internamento foram acredite 12 minutos... Mas... Bom vamos esperar seu esposo...
Posso te adiantar isto: -A menina estava vivendo um stress emocional muito grande, vocês como pais sabem disto, e o pai da criança onde esta?
A dona Neide ficou super sem graça não sabia o que dizer, e depois de um tempo disse: -Nós não sabíamos que ela estava grávida, ela estava escondendo seu estado de nós.
Entendo, você é mãe, sabe o quão importante é os primeiros meses de gravidez, vamos deixar qualquer fator moral para o lado de fora desta porta, pois aqui eu trato de saúde. E o que fizeram com essa menina foi muita crueldade com uma moça que está gravida. Não entendo doutor, crueldade, nós nunca maltratamos ela...
E chegou o pai da Lara, -Pronto, desculpe realmente era muito importante a ligação era sobre o conselho amor. Dona Neide olhava ao esposo com olhar de reprovação, não era hora nem momento de observar outra coisa , o que era realmente importante: -A saúde da Lara e do seu filhinho.
Tenho uma boa notícia e uma má noticia. Não gosto de rodeios, quero antes de mais nada que vocês como avós e pais prestassem bem atenção. Dona Neide esboçou um sorriso. O pastor cauteloso escutava.
A boa é que graças a Deus conseguimos salvar a criança, agradeçam a Deus pelo ótimo atendimento dos bombeiros fizeram toda a diferença. A má noticia que tivemos que sedar a menina, a paciente terá impulsos de forçar o aborto natural, ela teve um trauma muito grande recentemente, observei que ela teve um esforço e esta com as mãos machucadas. Agora olhava fixamente para a Neide, a menina esta grávida, precisa de cuidados extremos daqui para a frente se é que vocês queiram salvar a vida do neto de vocês.
-Não sei o que esta acontecendo na família de vocês, o meu trabalho é manter a vida, e por isto a Lara ficará sedada por dois dias, sem acesso a visitas ela precisa descansar para evitar que o próprio corpo dela provoque este aborto. E você mamãe... Olhava novamente para Neide, sua filha esta com anemia, você deve de se lembrar que uma mulher grávida precisa tomar vitaminas especificas, e a alimentação deve ser balanceada. Penso que essa coitada estava se alimentando muito mal. Agora Neide chorava de remorsos, pois realmente a Lara estava vivendo de pão, no quarto. Neide pensava em não se intrometer, era caso de amor mal resolvido, enganava-se por sí só.
Esta aqui. Deu uma receita, que o pai da Lara lia e não entendia.
-Isto é uma receita?
-Não é um encaminhamento, assim que liberarmos a menina é para ser internada e acompanhada em uma clinica especializada em casos como o dela. Escolham uma ondem vocês acharem conveniente, eu aconselharia nesta cidade, um hospital universitário, eles tratam do caso da Lara com os melhores médicos da região. O médico deu uma revista que o Pai da Lara leu, sim a cidade não lhe era estranha, ele cresceu nesta cidade, ficando apenas uma irmã por lá... O pastor pensava e raciocinava o que fazer...
Se vocês tem interesse em salvar o neto de vocês, procurem levar ela para esta clinica, ou outra se assim o desejar, na literatura médica relata que ela terá pequenos abortos espontâneos logo após este, então: Se ela esta vivendo uma situação de trauma por qualquer coisa que seja o melhor é afasta-la desta situação. Vocês tem dois dias para decidirem o que fazer. O meu trabalho é alertar e demonstrar a principal alternativa. Na nossa cidade não existe hospital especializado em tratamento deste tipo de caso. Logo após a sedação o ideal é que ela seja acompanhada de perto. E estão terminantemente proibidos de trazerem a paciente qualquer tipo de informação que agrave o estado de saúde dela, pois uma hemorragia pode levar a morte dela e da frágil criança. Agora com licença que o dever me chama. brilhava uma discreta luz na escrivaninha do doutor.
O doutor saiu, e pediu para a enfermeira acompanhar os dois para a sala de espera...
O silêncio tomou conta do local. Lara sedada, e os seus pais não sabendo o que fazer, Lorena foi com muito custo dispensada pela dona Neide, o Pastor pediu para Lorena não contar a ninguém sobre a gravidez da Lara. O pai da Lara andava pra lá e pra cá estava muito apreensivo, dona Neide sentada no sofá duro e frio do hospital orava... e o tempo passava...
# Todo este esforço para encobrir a gravidez, deixou Lara tensa, que acarretou numa situação extrema, e quase houve o aborto espontâneo. Como Lara irá encarar seus pais? E eles vão reagir como? Não percam os próximos capítulos...

Filhinho eu te amo

Nenhum comentário:

você poderá gostar destes posts abaixo