Paranaense, trinta e poucos anos, formado em letras, evangélico, E... Gosto de escrever...
Capítulo 14
Capítulo 14
Amo meu feiosinho
Hoje combinei de sair com o André, iremos ver os móveis para a nossa futura casinha e também veremos alguns eletrodomésticos, iremos casar daqui um ano (Meu Senhor dai me forças e paciência para esperar) ele achou por bem já comprar, vamos escolher, o André neste lado é bem organizado, neste tempo que esperamos ele vai pagando. Vamos morar nos fundos da casa do André, bem confortável a casa, vamos pintar e reformar ela, a mãe do André alugava esta casa, depois da reforma, vai ficar do nosso jeitinho. Com a Lara realmente o que eu tanto temia aconteceu e ela está grávida. Eu conheço essa guria dês de criança, ela sempre foi centrada, se envolveu com um ou dois rapazes da igreja, pé no chão. Não deu certo. E apareceu como ela diz o lindo de olhos azuis. Eu não troco o meu mecânico que é trabalhador e sempre me respeitou por um Tomás da vida. -Olhos azuis? grande coisa, o que importa para mim é o caráter, e que este Tomás é um sem caráter agora esta mais que provado. Outra coisa ele não era da Igreja, sempre dizia para a Lara, -Amiga, ele não entenderá os seus valores... E a Lara teimosa como ela só dizia: -Mas se o meu amor, o homem da minha vida não for de igreja? E cegamente suspirava pelos cantos:- Aí, meu lindo de olhos azuis!
E o meu André perguntava-me na loja de móveis: -O que acha deste amor? É um preço razoável respondi. (até queria o móvel do lado parecia ser mais interessante, mas fui no conselho da minha mão: -Pé no chão Lorena, pé no chão, começo de vida de casados não é fácil, as dividas podem trazer discórdia ao seu casamento. ) Aprendi com ela isto: -É melhor iniciar uma vida de casado modesta do que uma vida cheia de contas. E estava seguindo na prática os ensinamentos da mãe: -Está ótimo André. Um ano passa rápido. Logo, logo teremos nossa casinha. O André me observava e via que não estava tão atenta como deveria. -Lorena, você parece estar em outro lugar. Concentra aqui, fechamos as compras ali, dos móveis: -Vamos na outra loja que vende eletro. -Sim amor é que estou preocupada com a Lara, terminou com o Tomás. O meu noivo repetiu as minhas palavras. -Terminou, terminou... Ela é bem grandinha para se cuidar vamos viver o nosso momento. Achei tão fofo o que ele disse que tive que dar um beijo nele. -Ela é quase uma irmã para mim André, acostume-se pois gostou muito da Lara, chego a sofrer junto com ela. E o André me abraçava e dizia: -Sei, mas uma horinha é o que eu te peço, afinal é o seu fogão, a sua geladeira que estão em jogo neste momento. Dei uma risada verificando mais uma vez o celular. Ele já implicado disse: -Desgrude deste celular. Eu aceitei e desliguei. Parei para pensar o meu momento, estava comprando os eletrodomésticos para a minha casa, fiquei super feliz, até vou na igreja hoje de noite e louvar para agradecer a Deus por ele ser tão bom comigo. Mas o meu coração estava triste, não via a hora de terminar essas compras queria ir lá ver a Lara. Colocava-me no lugar dela, sim, tentava me imaginar como ela estava se sentindo, minha melhor amiga, passando por aquela barra, iria lá falar com ela e aconselhar aquela teimosa contar para os seus pais. São os pais dela? Não são? Ela disse que não poderia por causa de uma disputa, não entendi direito, mas vou lá e dizer para ela fazer o certo, antes do pai dela ser pastor da igreja é o pai dela. E o pai sempre quer o melhor pelo seu filho. -Pronto amor, finalizava as escolhas, muito modesto mas de bom gosto meus eletrodomésticos. O enxoval é por minha conta, beijei o meu feiosinho rs, amava ele isto é que importa..

Filhinho eu te amo
Deixe sua opinião
Por: Waldryano RJ 15.2.17 Comentarios | As

0 comentários:

A maioria dos textos e imagens expostos neste blog são de autoria ®Waldryano. Tecnologia do Blogger.

# Compartilhe