Prisão Capítulo 66


Por Waldryano | Para o blog Waldryano
Lembranças do Passado
Capítulo 66

Deitado na minha cama olho para Lara,e disse-lhe.Preciso contar o que me ocorreu antes de vir morar na capital. Meio sem graça constrangido contei que guiei meu pai para aquela fuga, contei os detalhes e falei para ela já quase chorando que a partir desta conversa não queria mais ter segredos com a Lara, gostaria de sempre ser franco não estava fazendo bem para mim deixar este detalhe do meu passado encoberto.
-Realmente foi errado da sua parte Nilmar fazer isto, você foi cúmplice dele, e roubar é errado, o dinheiro que ele aproveitou foi fruto de um erro. A facilidade gera consequências terríveis, e a pessoa vai perdendo. Quando uma pessoa transgride uma lei, ela vai se acostumando ao erro, e quando vê, já esta naquela situação que pode tudo.
-Como fez meu pai naquela banco não é?
-Sim infelizmente ele pensou que poderia tudo, mas existe lei existe ordem e decência. Ele transgrediu não aceitou correção, sinto te dizer isto Nilmar, pois apesar de tudo é o seu pai. Ele aceitou o seu destino.
Abracei a Lara, aliviado tinha tirado um fardo enorme das minhas costas, observava cada reação dela, e senti que ela foi não se importou tanto com o ocorrido.
-Se ele estivesse vivo, seu pai, deveria denunciar você e ele a policia isto seria o certo ao escutar o que me disse.Falou Lara olhando fixamente para o teto do nosso quarto.
-Mas tem uma coisa que eu preciso lhe contar.
-Fale Amor, penso que pior que isto não pode ser, não é?
Ele me deixou uma quantia de dinheiro pouca coisa, mas deixou em uma conta em um banco. Não sei porque ele disse assim para mim, vá ao Banco e morreu naquela ambulância. Não entendo Lara... Acho que tem haver com aquele dinheiro,Eu nunca precisei daquele dinheiro, sou bem organizado consigo viver bem com a herança da minha tia. (Nilmar administrava uma herança que ganhara de uma tia, alugueis de casas).
Lara olhou ele agora seu olhar era apreensivo e pensativo.
-Amanhã iremos neste banco que ele deixou esta quantia de um dinheiro de um roubo, você vai sacar todo o dinheiro, e doar...
-Doar?
-Sim você irá doar este dinheiro, pois não lhe pertence, se você fosse devolver para as autoridades responsáveis você iria se envolver numa confusão não é? Poderia até ir preso. Seu pai esta morto, e este dinheiro não lhe fará ao banco. Pode ser que ele aceitou a Jesus,igual você me contou e se arrependeu, e antes de morrer, quis que você se livrasse deste dinheiro.
-É Lara isto tem sentido.
-Mas pode ser também que ele queria lhe dizer alguma coisa. Amanha vamos ao banco e doar este dinheiro a alguma instituição.
-Aqueles dias do julgamento do Robson fiquei horrorizada com a crueldade com os animaizinhos, o que acha de doar esta quantia para uma ONG que cuide de animais?
Olhei para ela realmente a minha esposa era sábia, seria um alívio, e de algum modo consertaria algum estrago, com esta atitude.
-Então combinado amor, amanhã vamos ao banco, encerraremos esta conta e doaremos este dinheiro para alguma ONG que cuide de animais.
No outro dia já acordados se arrumavam iriam no banco com combinado anteriormente. Lara dirigia o carro, e Nilmar no banco de carona olhava para ela tentando decifrar seus pensamentos, ela ao trocar uma marcha e outra olhava sorridente ao esposo.
-É neste banco?
-Sim...
Entraram no banco pediram para falar com um atendente o atendente lembrou que aquela conta rendera algum dinheiro pois não havia sido movimentada dês que foi criada. Nilmar disse que sacaria todo o valor da conta e encerraria a conta.
A atendente fazendo a transação olhava para os avisos no computador, chamou o gerente, ao ler um peculiar aviso...
O gerente veio e leu no computador o que aparecia na tela, olhando para Nilmar, Lara estava esperando sentada o marido fazer a transação.
Neste instante começou a chover forte, Lara olhava para fora preocupada com a chuva inesperada.
O gerente olhou de novo o aviso e relembrou.
-A sim, lembrei-me deste cliente que depositou este valor e deste aviso. (Na verdade o pai do Nilmar deu 'uma gorjeta para o gerente' pedindo para ele guardar uma carta em um cofre de penhores, o gerente achou estranho o pedido, mas em volto a 'gorjeta' aceitou tal pedido). E o aviso dizia:
-Quando encerrar esta conta favor entregar esta carta ao resgatante do valor.
E veio o Gerente com a tal carta que estava guardada como se fosse uma joia no cofre de penhor.
-Esta aqui este papel, quando esta conta foi aberta, fui instruído a entregar a quem finalizasse ela esta carta. Você esta resgatando o valor desta conta, então esta carta é sua.
Olhei para o gerente surpreso,com a carta que estava dentro de um envelope, escrito o meu nome.
Encerrei a conta e sai desconfiado pensei que fosse algo relacionado a aquele roubo ao caixa eletrônico. (Só o que me faltava vir querer acertar um erro do passado e sair daqui preso e algemado) pensou Nilmar. Sendo assim, foi o mais discreto possível.
-O que é isto? perguntava agora Lara para Nilmar, estavam na frente do Banco esperando a chuva passar.
-É uma carta que o meu pai me deixou.
Lara olhou curiosa com o que estava escrito...
-Não vai abrir e ler ela?
-Será Lara aqui? Não é melhor abrir em outro lugar?
Lara olhou para a chuva, estava bem forte, e não tinham trazido guarda chuva, logo deveriam esperar, e esperar com uma curiosidade em mãos era bem complicado.
-Abra Amor,desta vez eu que estou curiosa, o que será que esta escrito nesta carta? Abra, leia e me conte, assim esta chuva passa logo e vamos embora...
Nilmar abriu a carta, e começou a ler, ao ler o conteúdo da carta, Lara só o observara curiosa com as reações do seu esposo. Alguns momentos ele ficava triste, outros momentos parecia que iria chorar, em nenhum momento esboçou sorriso ou felicidade. A um momento da leitura ele abruptamente e com uma tranquilidade estranha começou a amassar a carta fazendo uma pequena bola de papel com a carta.
-E aí, amor, quer me contar o que estava escrito na carta?
Nilmar olhou uma poça d'água mirou nela e atacou a carta, ela mergulhava naquela poça d'água e a chuva ajudava a carta se dissolver e os dois a olhavam.
Nilmar abraçou a Lara, e disse:
-Eu te amo, Deus colocou você na minha vida, não importa muito o que estava escrito naquela carta, tanto que nem quis terminar de ler ela. Agora viverei uma nova vida, deixarei o passado no passado.
Lara abraçada escutou aquelas palavras do seu marido, a chuva era intensa, e realmente deveriam esperar...
-No começo daquela carta ele dizia que se eu estava resgatando aquele dinheiro é que não conseguira administrar a herança, que ele estava bem agora e rico e deixará uma esmola pra eu me virar. Até aí tudo bem amor, não poderia esperar outra coisa dele...
-Mas o que me fez amassar e jogar fora aquela carta e nem ler o conteúdo restante foi isto. Ele disse que não era o meu pai que casou com minha mãe e ela já estava grávida. Lara ao ler isto muita coisa fez sentido, nunca soube do ódio que ele sentia por mim. Deste modo muita coisa fez sentido para mim. Ele disse que eu era um estorvo na vida dele que minha mãe morrera de overdose, e a partir daí tinha que cuidar de um filho que não era dele.
-Mas porque você não quis ler o restante do conteúdo da carta? Falou Lara curiosa.
-Sabe porque Lara?
Porque eu já havia o perdoado no instante que vi onde ele foi parar, naquela ambulância eu pensava que a vida de algum modo foi cruel com ele, e que ele não teve um real encontro com Cristo, por isso eu fiz aquele apelo, e penso que se foi sincero o arrependimento dele ele foi salvo. Não me importo com o passado, esta carta quis trazer o passado. Preferi não saber deste passado. Por isso amassei e joguei ela ali.
Lara agora abraçava mais forte seu marido, feliz com o que escutava... Mas tudo o que ele dissera fez ela pensar no seu passado, sim ela precisava perdoar seu pai, mas era muito triste o que ocorrera com ela. Nilmar olhou para ela e a indagou:
-O que você esconde atrás destes lindos olhos azuis...
-Nilmar, com esta atitude sua fico feliz e cada vez mais apaixonada pelo seu caráter, não é fácil errar, não foi fácil para você perdoar seu pai naquela ambulância, e vendo você meu amor entendo que Deus lhe usa de um modo todo especial, aquele dia você fez um apelo para mim aceitar a Jesus. Agora estamos indo na Igreja, e você mesmo não sendo um pregador você fez este apelo para o seu pai, você conseguiu perdoa-lo em um momento único, era o perdão e o evangelismo, você fez os dois no mesmo instante, falando isto Lara chorou.
-Eu é que agradeço a Deus por ter conhecido você amor, estou aprendendo a perdoar e a amar com você.
A chuva tinha diminuído, Lara e Nilmar foram correndo ao carro, passou neste instante um carro e passou na poça d'água que eles jogaram tal carta, a água veio cair nos dois, eles riram da situação. Disse Lara:
-Agora vamos para casa combinei com a Nelma de ir na igreja hoje de noite, vou conversar com ela o que acha de irmos levar este dinheiro desta doação amanha para alguma ONG de animais?
-Pode ser amor...
**
Na Igreja Lara sentou com a Nelma, Lara já havia conversado com a prima por telefone, sobre o casamento surpresa e sobre o quanto estava feliz com seu amado esposo. Nelma havia contado que apesar da situação de desconforto que tornou o casamento ela casou do mesmo modo, entendeu que Deus quis daquele modo seu casamento. Estava feliz com o Robson.
-Lara estou muito feliz, agora casada, nem acredito!
-Eu também Nelma, parecia que meu casamento não iria sair aquele dia mas saiu.
-Você não existe casar numa delegacia, falava Nelma rindo.
-Eu sou determinada, o inimigo se levantou queria me ver solteirinha, mas olhe aqui, mostrava a aliança, estou casada, com o meu amado.
E Nelma olhava a amiga e dizia assim:
-E eu também, mostrando sua aliança muito bonita por sinal...
O pastor começava a pregação que a muitos parecia um enigma, Lara começava a escutar e prestar a atenção.
-Irmãos, arrependam-se dos seus pecados, você deve se arrepender e não voltar mais a praticar tal ato pecaminoso que te distancia de Deus.
O Sermão era intenso, Lara e Nelma escutavam ambas olhavam para os respectivos maridos Nilmar e Robson que sentavam nos bancos dos homens, davam sorrisos sutis e continuavam prestar atenção na mensagem.
-A pessoa que pratica um pecado e encobre ele e não se arrepende certamente voltará a pecar.
A pregação do Pastor ele sempre voltava a falar do versículo tema da mensagem. A igreja prestava a atenção não se ouvia nenhum cochichar entre os irmãos...
Aos olhos do Pai nada fica oculto Lucas 12:22
Lara escutava a mensagem e um frio inexplicável percorria a sua espinha.
E dizia Nelma a sua prima.
-É forte isto prima.
-É é forte é a palavra de Deus...
Lara foi para a casa, tomou um banho, os pensamentos de Lara estavam na conversa com seu esposo Nilmar, sobre como ele procederá com a tal carta, e o seu passado.
-Meu Deus, falava Lara deixando a água do chuveiro percorrer seu corpo, faz-me ensinar a perdoar, faz-me esquecer do meu passado. Pai amado obrigado por ter aprendido com a sua palavra hoje. O que quer que seja a ser revelado Pai revele a mim.
-Lara telefone para você, parece que é a sua mãe, falava Nilmar segurando o celular, levando próximo ao boxe...
-Minha mãe?
[continua]
Muito obrigado pela visita, não esqueça de dar maizinhos no Google+ e curtir no Facebook, para comentar aqui tem que ser seguidor. Então siga-me no Google Friends, os links estão abaixo.

Nenhum comentário:

você poderá gostar destes posts abaixo