Paranaense, trinta e poucos anos, formado em letras, evangélico, E... Gosto de escrever...

Por Waldryano | Para o blog Waldryano
O Julgamento [parte 2]
Capítulo 55

Abro os olhos, que lugar é este?O que estou fazendo aqui? O teto branco, olho para o lado vejo uma janela. Olho para outro vejo que estou dentro de um hospital.
-Por favor,o que estou fazendo aqui, Fala Zecão para uma enfermeira. Ela estava levando nas mãos uma bandeja com objetos para um curativo. Assustada ela dá um grito.
-Aí meu Deus, o menino do Tiro... E sai correndo.
Neste instante aparece o pai do Zecão.
-Meu Deus meu filho você acordou!
-Sim pai o que estou fazendo aqui?
-Você não lembra?
-Só lembro que vi aquele Nilmar tirando uma arma e apontando para mim, senti um calor, bem aqui, então Zecão passa a mão próximo do tórax, no tiro de raspão que levou.
-Sim filho, você deve estar meio confuso, quem atirou em você foi o Robson a sua mãe esta neste momento no tribunal para ser testemunha de acusação, deste meliante.
-O Robson? Lembro deste menino, mas quem atirou em mim foi o Nilmar,ele passou correndo, por uma curva, bateu nuns lixos, acordou uns mendigos, e veio com aquela arma pra cima de mim.
-Você tem certeza do que esta dizendo? E veio o doutor, examinar o Zecão dizendo:
-Eu não entendo o quadro dele era instável, e não existia demonstração de retorno.
Ao pai do Zecão, não tinha caído a ficha ainda que estava conversando com o seu filho.
-Meu filho, meu amado filho você voltou!
-Consegue movimentar as pernas os braços? Perguntava o doutor.
-Sim consigo doutor, um pouco de câimbra, e uma dor de cabeça.
-É que você teve um edema na cabeça,quando você levou o tiro deste Robson que todos os jornais estão falando, você caiu e na queda teve um coagulo muito forte...
-Mas você esta ótimo, vamos agora mesmo fazer uma tomografia nesta sua cabeça, e saiu o doutor com a chapa da tomografia e Zecão sendo empurrado na cadeira de rodas.
O pai do Zecão, junto, pergunta ao doutor:
-Doutor é normal ele confundir a pessoa que atirou nele?
-Olhe Senhor, as condições psíquicas do Zecão não foram comprometidas, o que ele esta dizendo são os fatos antes do trauma, isto fica bem exposto no seu subconsciente, resumindo o que ele diz é verdade.
-Se é verdade doutor, um inocente esta agora mesmo sendo acusado de ter atirado no meu filho.
O pai do Zecao liga para o fórum.
**
Alo, posso falar com a defesa do caso Robson.
-Pode sim, o caso esta em recesso vou passar este telefonema para a advogada de defesa.
**
-E agora Lara? O que será do Robson eles não aceitaram o depoimento do Nilmar, dizia Nelma visivelmente emocionada.
-Não sei Nelma, eu tinha absoluta certeza que o depoimento do Nilmar demonstraria que o Robson é inocente, mas isto que o Promotor relatou, esta evidencia sabe Nelma, isto realmente ficou exposto, e pareceu que estaria só atrapalhando a acusação, com um possível namorado manipulado a dizer o que eu quisesse.
-Que vergonha, que humilhação, acabei com a minha carreira, e olha que eu gosto sim daquele rapaz, dês da primeira vez que eu vi ele, senti de contar meus segredos a ele e agora? -E agora Nelma? Atrapalhei seu namorado, e por conta daquela foto posso facilitar incriminarem ele. Abaixa a cabeça Lara visivelmente cansada e abalada.
-Sabe Lara, neste exato momento nossa igreja esta orando, o pai e a mãe do Robson estão orando, eles creem num milagre, eu também creio num milagre Lara em todo o tempo quando ouvia o depoimento de Nilmar e a sua defesa, em todo este tempo fiquei orando nos meus pensamentos.
Lara levanta, ajeitasse e fala:
-Já se passaram cinco minutos, o que vou fazer? Minha defesa necessitava do depoimento do Nilmar e agora este depoimento foi refutado!
-Entrega nas mãos de Deus Lara, você é uma boa moça, minha melhor prima sabia? Sei que não é de gostar de qualquer um, eu mesma, encontrei meu amor deste modo, e hoje faria de tudo para estar ao lado dele Lara. Você esta encontrando seu amor deste modo também.
-Mas Lara fique calma, pois o Robson necessita da sua defesa, se ele for condenado, ao menos poderá ajudar a amenizar a pena, falava Nelma, agora entristecida.
Em direção das duas vem um policial, trazendo um telefone sem fio.
-Lara advogada de defesa, telefone para você.
-Para mim?
Lara atende ao telefone, e começam a falar com ela.
-Sim, Como? Espere um pouco? -Aí meu Deus!!!
Nelma fique aqui e peça para o juiz aguardar mais meia hora, vou levantar uma informação agora mesmo que pode livrar realmente seu namorado da prisão.
-Que informação? Perguntou Nelma.
-Não posso dizer ainda, preciso averiguar a informação.
No hospital Lara encontrasse com o Zecão o doutor e o pai do Jovem.
-Doutor, tudo o que o Zecão esta dizendo pode ser descartado no tribunal se alegarem que ele esta confuso não assimilando o que é real do que eventualmente possa ser fantasia, por conta de sequelas do trauma.
-Entendo advogada, mas atesto que ele esta bem, sem traumas, fizemos alguns exames e a tomografia cara advogada, não sei explicar.
Mostrava para Lara que não entendia nada.
-Espere um pouquinho, esta tomografia, e levantava para refletir a chapa contra a luz, foi tirada hoje de manha, e esta agora.
Era evidente a diferença na primeira parecia como se fosse uma laranja no meio do cérebro, e na outra a tal laranja (uma bola de uns 5 centímetros de diâmetros) sumira.
-O Senhor esta me dizendo que isto aqui é o edema (e apontava a bola) e ele sumiu?
-Sim sumiu misteriosamente como se fosse um milagre, não sei explicar advogada.
-Pai, dizia Zecão, me leva lá no tribunal que eu preciso defender este rapaz, que esta sendo acusado por atirar em mim.
Quem atirou foi o Nilmar! Lara ouviu o nome Nilmar ficou desconsertada e perguntou.
-Só estavam na cena deste crime vocês dois?
-Eu lembro que o Nilmar antes de me dar este balaço, apontando para a ferida com uns dois pontos perto do tórax, levantando a camiseta, e Lara observando.
-Antes deste balaço, ele tava vindo qui nem louco, e quase acertou dois mendigos, que estavam próximo de umas caçambas de lixo.
-Você reconheceria estes dois mendigos?
Perguntou seriamente a Lara.
-Sim claro, sempre eles ficam ali perto, sabe, eu vivo por aquelas bandas, e vejo eles sempre por ali.
O doutor, olha para o pai do Zecão e diz.
-Seu filho voltou em perfeita ordem, esta conversa com a advogada só demonstra que ficou sem sequela.
E Lara olhou para o pai do Zecão e pergunta:
-Você se importa de emprestar seu filho, (em um tom Cortez) para irmos procurar esses mendigos, e o Senhor Doutor, libera ele.
-Olha advogada, poderia não liberar, mas pela urgência desta história, vou ir junto e se necessário vou também no tribunal acompanhar meu paciente, fiquei com ele por trinta dias não custa nada sair ver o sol com ele (dando umas risadas).
E estava todos; o pai do Zecão, Lara dirigindo o doutor e o Zecão no carro atrás dos tais mendigos, e por sorte, encontram os mendigos.
-Olha senhora advogada é aqueles ali olhe!
Lara arruma seus óculos, e fala assim para o Zecão:
-Senhora... Assim acaba comigo, sou bem nova sabia.
-São aqueles ali.
Lara para, e conversa com os mendigos, eles relutam um pouco em responder e ela mostra duas fotos, quais dos dois acertaram o lixo que vocês dormiam naquela noite? E os dois mostram a foto do Nilmar. Lara neste momento liga para a polícia conta o sucedido, e levam os dois mendigos ao fórum.
-Olha moça bunita, não gostamos de policia não, mas se você esta dizendo que este muleque que derrubou nossa morada, (pois os mendigos sempre ficavam a noite ali próximo, pois a caçamba escondia o frio da noite) é inocente, e esta agora mesmo sendo acusado de um crime vamos juntos com você.
Continua#
Muito obrigado pela visita, não esqueça de dar maizinhos no Google+ e curtir no Facebook, para comentar aqui tem que ser seguidor. Então siga-me no Google Friends, os links estão abaixo.
Deixe sua opinião
Por: Waldryano RJ 1.10.15 Comentarios | As ,

0 comentários:

A maioria dos textos e imagens expostos neste blog são de autoria ®Waldryano. Tecnologia do Blogger.

# Compartilhe