As pessoas precisam ser pobres para ser santas? (Lc 18.22)

AS PESSOAS PRECISAM SER POBRES PARA SER SANTAS (Lc.18.22)
E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; vem, e segue-me. Lc.18.22
Tem sido ensinado por muitos anos que a pobreza e a santidade andar de mãos dadas. O apóstolo Paulo disse: “Sei estar abatido e sei também ter abundância”. Então, ele acrescentou: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece” (Fp. 4.12-13).
Você pode ser tão santo quando você é financeiramente confortável como quando você é pobre. Talvez seja mais fácil clamar a Deus por ajuda quando você está em necessidades. Mas se os crentes santificam a Deus o seu coração, acima das preocupações materiais, eles devem estar preparados para viver acima de suas circunstâncias, quer envolva prosperidade ou pobreza.
A pobreza é uma maldição, não uma bênção. Ela certamente não está igualada à justiça. Ela vem, às vezes, por causa dos horrores da guerra, às vezes por causa de um governo injusto ou sem sabedoria, às vezes por causa da opressão feita por cobiçosos e por homens sem misericórdia, às vezes pela desobediência aos mandamentos de Deus e, às vezes, por causa da falta de conhecimento dos princípios das bênçãos de Deus. Às vezes, uma pobreza temporária segue um ataque satânico ou uma séria e inexplicável calamidade. Qualquer que seja a causa, a pobreza não é igualada à santidade.
Alguns, voluntariamente fazem um voto de santidade para que eles possam se dar totalmente a Deus. Nessa situação, a pobreza se torna uma bênção para essas pessoas, porque elas desistiram de suas riquezas materiais por causa de Deus. Porém, ser simplesmente pobre não é um sinal de santidade. É claro que ser rico também não é um sinal de santidade. As pessoas santas são aquelas que estão contentes em qualquer lugar que Deus as colocar e que o serve com o melhor de suas habilidades, independentemente de circunstâncias materiais (1 Tm. 6.6,17-19).


Fonte: Bíblia de Estudo Plenitude.

Nenhum comentário:

você poderá gostar destes posts abaixo