Jovens carecas

Meu texto de hoje descreve uma cena passada na volta do trabalho. Eram cinco da tarde, estava sentado dentro de um ônibus, já havia visto meu celular e jogado em um app de acentuação, (estou estudando isto nos momentos de descanso) e ao olhar para a janela vi a cena que fez eu desejar escrever esta pequena crônica:

Jovens Carecas correndo

Ao olhar pela janela do ônibus vi jovens carecas correndo, logo passei a mão na minha cabeça e fiquei aliviado, não era somente eu que estava com a maquina zero passada na cabeça. Continuei a observar aqueles jovens, entendi que para eles era importante aquele corte de cabelo bem como a camiseta branca e o shorts que remetia o esporte, eram vinte mais ou menos o que consegui contar, olhei na expressão em seus rostos, todos disciplinadamente rígidos, olhavam para a frente como um bom olhar militar exige, eles continuaram sua disciplinada passeata naquela via, foi rápido pois ônibus logo fez a sua curva e pinga a pinga foi entregando trabalhador a trabalhador.
Eu sou o último a ser entregue uma hora de viagem dentro deste ônibus.
Pensei sobre aqueles jovens, naquele instante falei para meus pensamentos: -Preciso escrever sobre esta cena, e logo estou aqui.
Jovens de dezoito anos, fazendo seu exercício militar, meus pensamentos seguiram no desejo nunca realizado de servir o exército. Outro pensamento foi o do quanto sofrível poderia ser a vida daqueles jovens de cabeça raspada. Fiz todas as hipóteses de sofrimento e servidão daqueles jovenzinhos. Mas depois meus pensamentos tomaram outro rumo, o certo penso assim, que a disciplina que aqueles jovens estavam recebendo é algo para a vida. Tantas coisas em minha vida seriam  melhores se naquele instante da vida, meus dezoito anos, fosse abruptamente interrompido e fosse receber disciplina militar.
Como que os valores estão distorcidos, ou melhor, como o meu valor esta distorcido, quando vivia aquela idade dos dezoito anos era aterrorizante a ideia de viver tal vida. Hoje sinto que se tivesse vivido o tempo militar aprenderia valores seria mais forte e não reclamaria tanto, seria forte tanto físico como no psicológico.
Quando estava quase chegando no meu ponto para enfim retornar para a casa, vi um microonibus que levava aqueles jovens creio eu para o seu quartel.


Crônicas de um velho Jovem

Nenhum comentário:

você poderá gostar destes posts abaixo