Prisão Capítulo 47


Por Waldryano | Para o blog Waldryano

Um passeio no Parque
Capítulo 47

No parque começamos a passear de mãos dadas parecia um sonho, outro dia, preso, e naquele momento livre! O ar tocava meu rosto... O sonho só foi quebrado por um incidente.
-Olha mãe, dizia o menininho de uns sete anos ou mais, o moço do jornal!
A mãe do menino puxava o braço dizendo:
-Não chegue perto deste delinquente!
E voltei triste a minha realidade. A Nelma me olhou e disse:
-Calma é só uma criança,vamos aproveitar o momento... E meio triste tentei esquecer colocando um sorriso no rosto.
Peguei na cintura dela... La no banquinho, la longe, disse a Lara:
-Comportem-se estou aqui lendo e estudando... É realmente ela não para, pensei vendo ela com o seu inseparável notebook sentada naquele banco de praça.
-Mas estou de olho em vocês! Fazendo um gesto com os dedos. O tom era de brincadeira.
-Vamos ali? Disse a Nelma.
Eu vi uma arvore bem grande com os troncos bem, digamos: -Convidativos' a um encontro.
E encostei.
E ela se encostou.
E se beijamos...
Que beijo bom! Confesso que o beijo esboçava todos os sentimentos que estava nutrindo por aquela garota. A sombra da arvore, os pássaros a cantar, tudo estava lindo, perfeito.
E veio outro beijo, e abraços...
Descobri sim,era a Nelma que amara, e disse assim a ela:
-Quem bom que Deus colocou você na minha vida! Esquecer o celular naquele carro, aquele nosso primeiro encontro na sua casa, sabe Nelma.
-Fale meu amor, dizia ela passando a mão nos meus cabelos.
-Tudo que ocorreu foi complicado, mas por outro lado nossa história iniciou-se em meio a tudo isto.
Ela olhou me continuava a passar a mão na minha nuca, seu perfume se confundia com o cheirinho de natureza que nos rodeava.
-Sabe Robson, se eu fosse traçar um titulo para o nosso amor, sabe qual seria?
-Não, fale... Retribuía as caricias passando a mão nos seus cabelos.
-Prisão, em meio ao desespero encontrei o Amor.
Olhei para ela, ela me olhou apaixonadamente, se beijamos, nossos corpos estavam entrelaçados, o sabor daquele beijo era todo especial.
Continuava o nosso passeio, no meio do parque havia uma ponte para atravessar um pequeno lago e passamos por essa ponte. A Lara? Estava longe envolta aos seus papeis.Ventava e as folhas de arvores grudavam nos cabelos da Nelma, de repente no meio da nossa travessia o ar ficou totalmente agradável, a Nelma me olhou e eu olhei para ela. E ela disse assim.
-Sabe sempre quis fazer aquela cena do Titanic, e deu uma risadinha de leve, eu também tinha esse sonho de fazer a tal cena algum dia,mas as chances eram quase remotas e encontrar um barco pra fazer aquela cena? ... Mas improvisamos...
Que improviso! No meio daquela ponte de madeira peguei sutilmente nas mãos da Nelma olhava para o horizonte daquela praça e disse assim a ela:
-Te amo. Ela olhou-me para trás e impulsionou seu rosto, e senti, senti seu delicioso hálito de menta...
-Eu também te amo. E me beijou...
De repente aquele momento foi quebrado.
Sim.
Algo estranho estava acontecendo.
Uma movimentação lá na frente onde estava a Lara. Ela estava conversando com dois policiais, eu vi a cena e falei assim a Nelma:
-Nelma, vamos ver o que esta ocorrendo, logo pensei na minha mãe.
-Vamos!
Chegamos onde a Lara estava e o policial me entregou uma foto.
Eu peguei, olhei para a foto. Sim era o descampado, aquele que dei aquele tiro quando estava com o Nilmar.
-Conhece este lugar? A Lara olhou para o policial, olhou para mim e disse:
-Porque a pergunta?
O policial continuou mais veemente.
-Conhece este lugar? E eu acabei por dizer.
-Sim, conheço! Queria contar toda a verdade acabar com aquele pesadelo:
-E isto você também conhece? Seu monstro!
E me mostrou uma foto que fiquei chocado, A Nelma puxou a minha mão e olhou a foto, virou o rosto e vomitou.
-Meu Deus!!! Que horror!
A Lara disse:
Vamos à delegacia, tudo será esclarecido.
-Não advogada Lara, é Esse o seu nome não é?
Por conta da evidencia aqui exposta e pela brutalidade do ato do seu cliente ele esta preso. E veio o outro policial e me algemou.
A Nelma chorando disse:
-Nãããããããããããããããão!
Mas era tarde estava sendo preso novamente.
O policial logo disse:
-Agora esse maníaco vai ficar bem longe das pessoas de bem desta cidade, e sairá da dela só depois de pagar por todos os seus atos criminosos.
Continua...
#
No próximo capitulo, será abordado eventos que ocorreram na sexta feira antes do Robson efetuar aquele disparo. Aguardem!
Não esqueçam de votar e comentar. Abração do Wal. Amo6
Muito obrigado pela visita, não esqueça de dar maizinhos no Google+ e curtir no Facebook, para comentar aqui tem que ser seguidor. Então siga-me no Google Friends, os links estão abaixo.

Nenhum comentário:

você poderá gostar destes posts abaixo