Prisão Capítulo 11


Por Waldryano | Para o blog Waldryano

Capítulo 11
Aqueça as minhas mãos


Minha mão não esquentava. Senti que estava nervosa. Sabe, tinha sonhado com ele, sua imagem era real nos meus pensamentos.
Mas ele é Real e agora esta entrando na Igreja.
Pensei: 'Se ele me cumprimentar eu morro!'

O pai dele fez um sinal e foi sentar com os homens e ele olhou para mim e veio.
'Senhor, ele esta vindo aqui... '
-Oi Nelma, olhei para ele e em seguida olhei para o chão e disse:
-A paz do Senhor Robson, quanto tempo... (calma que eu estava nervosa)
- Ops... A paz do Senhor Nelma (ele se corrigiu estávamos na igreja) e só naquele momento que percebi que ele estava com a mão estendida...
Cumprimentei-o, sua mão era quente, e a minha?

-Nossa Nelma sua mão esta gelada, ele tirou um casaquinho (tipo blazer sabe) que estava usando e me deu.
Nisto a Igreja inteira (tinha poucas pessoas só pessoas de idade, umas trinta) nos observavam.
Era estranho um menino sentar com uma menina, o Robson sabia disso, quando mais jovem ele vinha na EBD, no entanto era só eu e ele de jovem ali...
Vesti o casaco (que perfume gostoso...) e disse: - Agora vamos prestar atenção na Escola Bíblica Dominical.
Alguns momentos eu tive que ler em voz alta, e ele ficava me observando, e eu sem graça (pra variar) até gaguejei, acredita?
Ele também leu.

- Nelma licença; preciso ir ao banheiro, e foi o Robson ao banheiro. Neste momento meu pai olhou para mim lá na frente, e deu uma risadinha de lado.
E eu? Tirei o casaco do Robson, já estava suando. Comecei me concentrar, era meu pai passando a lição e ele falava assim:
-Jesus estava no Getsemani, foi orar, algo terrível aconteceria com ele, e os seus companheiros dormiam (neste momento o Robson já tinha voltado e estava no meu lado e ele encostou sua mão, olhou para mim e pegou na minha mão!). Fiquei super sem graça disfarcei e continuei a ouvir meu pai que falava:
-De repente surge Judas e dá um beijo em Jesus, e acontecia assim a prisão do Mestre. (Neste momento Robson diz pra mim bem baixinho...)
-Posso te levar para casa?
Eu falei assim para ele:
-Tenho que falar com meu pai, se ele deixar podemos sim ir conversando até a minha casa (não sei, sentia que o Robson estava apreensível) Ele olhou para mim novamente e eu perguntei:
-Quer falar sobre ontem?
-Sim. Ele ficou calado e logo disse novamente: -E outras coisinhas também, Voltei a ficar vermelha.
Meu pai dizia naquele momento:
-Vamos ficar de pé e fazer uma oração e nesta oração gostaria que os irmãos intercedessem pela vida de um adolescente, o Zecão.
Ao levantar, Robson soltou a minha mão, à passei na jardineira jeans que vestia, estava suando minha mão, no impulso coloquei-a próximo ao nariz e senti o perfume do Robson. E orei.
Na oração agradecia a Deus por aquele momento. Nos pensamentos agradecia a Deus por aquele sonho, o menino que gostava estava ali junto comigo, tudo estava perfeito.

# A história continua amados, muito romance surgirá, no entanto, haverá momentos de apreensão, Deus abençoe vc querido leitor :D

Muito obrigado pela visita, não esqueça de dar maizinho no google+ e curtir no facebook, para comentar aqui tem que ser seguidor. Então siga-me no google friends, os links estão abaixo.

Nenhum comentário:

você poderá gostar destes posts abaixo