Pesquisar este blog

Translate

1.10.15

Prisão Capítulo 27



Por Waldryano | Para o blog Waldryano

Capítulo 27
Prisão, em meio ao desespero encontrei o amor

Final
O culto prosseguia, neste instante, o pastor pediu para todos levantarmos, era o momento da oração para a mensagem, senti um calor dentro de mim que não sei explicar, senti que a mensagem seria algo para a minha alma, e olhei para o lado estava a Nelma no meu lado, ela sorriu e abaixamos o semblante e começamos a orar.
A oração, foi um agradecimento, e nesta oração o pastor pedia para que a igreja abrisse o coração para receber a mensagem que Deus havia, tocado o coração para estar recebendo, e assim foi, cada palavra cada gesto, eu sentia aquele calor inexplicável no meu ser.
A igreja fervorosa estava naquele momento, afinal, a igreja cujo qual minha mãe e meu pai, e a minha infância inteira me vi envolvido era assim fervorosa. Sempre foi, eu que me esqueci o quanto era importante aquele momento, sim, naquele momento da oração tive o real encontro que eu tanto precisara e nesta oração fiz as seguintes perguntas para mim mesmo.
O que eu quero da minha vida?
Qual é o sentido para tudo isto?
E as respostas me vinham uma a uma, Sim queria da minha vida ser feliz com alguém que gostasse ao meu lado, com a minha família, e sim queria naquele momento estar prostrado aos pés de Jesus. E ali estava só Ele sabia que eu esta sendo sincero na minha oração.
O sentido para tudo que estava ocorrendo comigo era pra eu achegar-me mais pertinho dEle, isto era tão nítido para mim como água cristalina, a oração foi rápida, mas essas reflexões que fiz comigo mesmo me fizeram chorar, enxuguei o choro e comecei a ouvir a pregação.
O pastor sim, ele era um usado por Deus, cada palavra que ele falava, vinham para mim como confirmação de tudo que esperava ouvir naquela mensagem.
Sabe? No momento que estava me arrumando eu pedi assim a Deus.
-Pai, fale comigo hoje...
E ele falava, Como? Através da mensagem, ele contará a mensagem de José do Egito, ele era mimado, e os seus irmãos o odiavam por isto, ele tinha tudo do bom e do melhor, pense amados Ele até ganhou uma túnica estilosa, Como deveria ser difícil fazer uma túnica, legal naquele tempo? Colorida, como dizia os versículos que folheava naquele momento.
O pastor contava a história, e eu viajava junto cada evento cada situação, eu não entendia porque de José passar por tudo aquilo.
-Inveja, porque os seus irmãos tinham inveja dele? Será que o Nilmar tem inveja da minha vida? Porque ele fez isto comigo, usou o carro do meu pai para fazer aquela barbaridade?
-Inveja, porque o pai do Nilmar me tratava com tanto ódio? Eu nunca fiz nada para ele, qual era o real motivo de tudo aquilo.
-Atos, porque os irmãos de José fraudaram a morte dele e não foram sincero com o pai Jacó dizendo tudo que acontecera? Porque Nilmar e o seu pai não iriam para policia contar do ocorrido com o Zecão e assumindo o erro começariam descobrir um modo de corrigir tudo.
O Pastor em momentos de emoção da mensagem disse assim:
-Amado, é para você essa mensagem essa mensagem, tem endereço, saibas que se te jogarem numa cisterna (perguntei pra Nelma o que era cisterna, ela me disse um poço sem água) Deus estará contigo.
-Se te enviarem na prisão, Deus será o teu mantenedor. Prisão, voltou tudo nos meus pensamentos aquela conversa com o Pai do Nilmar e a Nelma me olhava assustada, e ao mesmo tempo emocionada, ela disse me assim.
-Não se preocupe Robson, Deus te conhece, e sabe que você não tem culpa daquilo que conversamos ontem.
-Sim Nelma, essa mensagem esta falando no profundo do meu coração.
-Você, dizia o pastor.
-Que sentiu e sabe que esta mensagem é de Deus para a tua vida, venha aqui na frente e faça um concerto com Ele.
Era pra mim, o Espirito Santo de Deus estava guiando a boca daquele homem tudo falava comigo, olhei para o lado olhei para o outro, pessoas orando, muito Glória e Aleluia.
Eu olhava esperando um ir primeiro, e ninguém ia....
O pastor falou, assim pode ser a tua ultima oportunidade, venha e se entregue a Cristo, com todo o seu coração é Ele que cuidará de você nos momentos mais difíceis é ele que agirá na sua causa, mas isto depende deste passo.
Olhei para a Nelma, olhei para os lados, e fui a frente.
O calor tocará todo o meu corpo, eu orava e clamava a Deus, e dizia nos meus clamores que não seria mais o mesmo. E o aceitei de verdade naquele momento naquela oração foi a oração mais sincera de toda a minha vida.
Na oração veio aquele hino do irmãozinho da viola.
Mas não pense que o Senhor, te terá por inocente, você conhece a verdade você é filho de Crente.
Entendi, que entregar-me era pessoal, não era por que meu pai e mãe eram crentes que eu era crente, e pedi perdão por minhas transgressões e amizades com pessoas que estavam me prejudicando, entendi que aquela igreja era a minha grande família, e agora com a Nelma ao meu lado tudo seria mais fácil, em meio a tudo isto sim encontrei o amor.
Voltava ao banco, só naquele momento percebi que muitos foram depois de mim, o primeiro passo era o meu, veio um irmão, acho que era secretário conversou discretamente, e convidou-me para me batizar, e aceitei daqui a um mês, senti, sim vou me batizar vou membrar e vou ser feliz.
O culto acabou, e todos começavam a se cumprimentar e sair da igreja.
De repente uma movimentação de carros da policia na frente da igreja o que seria aquilo?
E veio um policial em minha direção.
-Você e o Robson, Neste momento todos pararam e aglomeravam em minha volta, a minha mãe olhou-me e disse o que foi meu filho o que houve, a Nelma ao lado dela olhava pra mim, ela desconfiava do que se tratava, e abraçou minha mãe e disse.
-Calma Madalena, é a policia, deixe eles dizerem o que querem.
Meu pai me olhava, e ficou quieto só olhando.
Aqueles segundos pareciam intermináveis aquela frase tocou meu ser como uma navalha. É você o Robson.... Eu disse sim eu sou o Robson policial.
Você esta preso por tentativa de homicídio, tudo que você falar será utilizado como prova em uma investigação, o carro do seu pai e a arma do crime, já se encontram nas mãos da policia.
-Eu nem sei o que pensar, eu disse assim:
-Como assim, e as luzes da sirene brilhavam no meu rosto, e olhei para a minha mãe, e vi, uma luz que parecia um lazer, chegar bem perto do seu coração, me estremeci todo, essa luz passeara nela, tremula, e mudou o alvo para a Nelma. Naquele instante de desespero entendi do que tratava.
Era o pai do Nilmar mirando nas duas alternando a mira, fiquei apavorado, o policial, colocará algema nas minhas mãos meu mundo estava caindo desmoronando.
-Eu disse, sim policial eu sou culpado.
-Não..... Gritou a minha amada Nelma.
**
Olhei para o Robson, não acreditara no que estava ocorrendo, vi meu amado sendo preso na frente da igreja, a mãe dele me abraçou eu disse, Calma, e era tarde demais ela já estava passando mal, e veio o pai do Robson, abraçou ela estava caindo a pressão dela, pronta a desmaiar.
-E eu,? Não sei o que deu na minha cabeça, quando o Robson confessara um crime que não cometera, eu Gritei, Gritei bem alto era o meu amor que estava indo para a prisão.
Neste instante a minha amiga, sim aquela que louvará os louvores da harpa comigo, a soniacunha3517, me abraçou e disse:
-Calma, Nelma, tenha fé é tudo um mal entendido, deixem lá na delegacia, se resolve, me dê um abraço.
Ela me abraçou eu chorara, minha maquiagem já estava toda borrada, e ela me confortava de um modo inexplicável. Ela terminou aquele abraço e a policia já tinha levado meu amado, a multidão da frente da igreja já dispersará. E a Sonia me levou para casa. Meu pai olhava para mim e eu para ele.
Pai, o Robson é inocente!
-Você tem certeza disto Nelma?
-Com minha alma, pai, tenho Certeza, e eu o Amo.
Então vamos a delegacia.
**
Na delegacia, já haviam feito dois exames no Robson, um exame de corpo e delito para averiguar, se ele tinha alguma lesão, antes do ato de entrar na delegacia. E o outro por conta do crime, ter havido tiro. Um exame de balística, para saber se ele tinha atirado com arma de fogo no período de cinco dias.
O policial levará ele a uma cela, só.
-Tua sorte muleque é que o delegado foi com a tua cara e você é réu primário, vai ficar nesta cela.
E colocou ele na cela onde estava vazia.
-Mas você esta bem encrencado, pois o carro do crime, do tiro do Zecão foi realmente o seu, teve a burrada de esbarrar numas lixeiras e tirar tinta delas isto colocou no local do crime, mas o pior mesmo é ter deixado a arma dentro do carro.
-Bem amador você né muleque, os projéteis que foram coletado coincidem com a tua arma.Isto só facilita nosso trabalho.
Posso, ver e falar com ela, Disse o Robson.
O policial olhou para mim, e disse:
-Pode, tá ferrado mesmo, dois minutos, visitas só na terça.
E o policial buscou a Nelma toda cabisbaixa, com a maquiagem borrada de tanto chorar, Não entendia porque meu pai e a mãe não estava ali,
Eu? Atrás daquela grade, nem entendia bem o que ocorrerá.
-Amor. Disse a Nelma.
-Meu amor, e ela veio e me abraçou. No entanto tinha aquelas grades que nos separavam, o frio, a sensação, a emoção, não entendi mais nada, naquele instante lembrei.
-Sim nunca beijei a Nelma, e ela pensou do mesmo modo, nossos lábios se entrelaçaram, e beijei minha amada Nelma, senti o calor do seu corpo, sua mão tocara minhas costas, sentia o frio da grade entre os nossos rostos e estava em meio ao desespero da Prisão, e naquele beijo entendi, que em meio ao desespero encontrei o Amor.
##
Finalizo aqui o livro terá segunda parte. Agradeço a todos que estiveram presentes, aliás vcs, são o maior presente, quando iniciei esse livro já pensava neste final. Agora um tempinho para duas coisas, descansar, e esmerar a continuação, e outro para mais leitores encontrarem esta história. Abraço do Wal:)

Muito obrigado pela visita, não esqueça de dar maizinhos no Google+ e curtir no Facebook, para comentar aqui tem que ser seguidor. Então siga-me no Google Friends, os links estão abaixo.

Nenhum comentário:

Postagem em destaque

Atitude racista afasta William Waack

William Waack Um vídeo que circulou nas redes socais nesta quarta-feira em que o apresentador William Waack, do Jornal da Globo, aparece...